Post 5/dez  O que diz o seu titulo profissional no Linkedin?

conheca-2-tecnicas-para-motivar-sua-equipe.jpg

O que diz o seu título profissional no Linkedin? 


O seu título profissional no Linkedin diz muito sobre você.

Qual a mensagem você está deixando para as pessoas?


O headline profissional do seu perfil do Linkedin é talvez um dos elementos mais importantes que você deverá ter em conta quando constrói a sua presença nesta rede profissional. Estes 120 caracteres têm um impacto forte nos outros usuários. O que escrevemos aqui diz um pouco do que somos e do que fazemos e talvez do que desejamos fazer.

As primeiras impressões do seu perfil são feitas em função da informação que coloca neste título profissional. Em muitos casos, um outro usuário ou recrutador não irá visitar o seu perfil se não tiver um título sugestivo e atraente.


Recentemente, um pequeno estudo no Linkedin mostrou que 37% de 677 perguntados, afirmaram que o título profissional é o elemento mais importante de um perfil.

A discussão entre membros foi grande, reforçando a ideia de que este pequeno texto divide a atenção de todos, mas que é muito importante.


Quando fazemos convites, enviamos mensagens, participamos em discussões em grupos e aparecemos nas pesquisas efetuadas por recrutadores, o título do seu perfil Linkedin surgirá em destaque.

Temos 120 caracteres para chamar a atenção de quem nos procura. Para tal, vamos oferecer algumas sugestões.

Será importante realçar que a situação profissional é determinante para o tipo de texto que queremos incluir no título.


Se está atualmente empregado e não procura emprego, lembre-se que pode sempre optar por:


1.      Título profissional que usa na empresa com o nome da empresa, caso esteja em busca de novos desafios coloque a função ou as funções (poucas) que mais lhe representam na sua carreira e mencione que está em busca de novos desafios, ou em transição de carreira, mas deve ainda adicionar:

2.      Sua área de negócio;

3.      O seu foco de interesses profissionais, algo sobre a sua experiência;

4.      Cuidados especiais para os acrônimos, siglas ou diminutivos da sua área de especialidade (ex. PMP, ITIL, ENG, MBA, etc.…). Se forem denominações aceitas na sua área, coloque, mas com moderação e bom senso.


Sugestões de títulos para quem procura emprego ou está em transição de carreira:


Lembre-se que os recrutadores são pessoas ocupadas e têm sempre pouco tempo para avaliar perfis de usuários.

Muitos títulos são tão fracos e pouco específicos que é difícil entender exatamente o que a pessoa faz. Outros não dizem nada como: “desempregado na empresa desempregado” ou “tal coisa na confidencial”.


Um título vago ou excessivamente criativo apresenta dois problemas – um título criativo provavelmente carece de determinadas palavras essenciais ao recrutador. Por outro lado, as pessoas que procuram esses candidatos são pessoas ocupadas.

Eles não têm o tempo necessário para traduzir o significado de “ajudo empresas a…” “ajudo pessoas....” “minha missão é .....” e você, tem 5 segundos para convencer um recrutador a clicar no seu perfil a partir de uma página de resultados de pesquisa com uma longa lista de vários usuários.


Alerto para o cuidado especial de quem está em transição de carreira, mas ainda não se desvinculou do seu emprego atual:

Indique as suas áreas de especialidade (sem abusar nas palavras chave); Os recrutadores chegam ao nosso perfil pelas palavras-chave que podem estar em vários locais do seu perfil, mas que é essencial que estejam no título;


Não exagere no seu título, vendendo-se em demasia. Os recrutadores querem saber quem é, que experiências apresenta e o que pode trazer às empresas, inclusive competências que o diferenciam.


Ricardo Saldanha, CEO e principal sócio da Target Outplacement, (www.targetoutplacement.com.br) especializada em Transição de Carreira e Recolocação Profissional e principal sócio da Saldanha Consulting, especializada em planejamento estratégico de RH é Engenheiro (UERJ) com Mestrado em Recursos Humanos (PUC-RJ), MBA em Gestão Empresarial (FDC), Extensão em Strategic Leadership (Escuela Ejecutiva de Madrid). Atuou como Diretor Executivo de Recursos Humanos e Diretor Executivo de Negócios em Empresas como Santander, Itaú Unibanco, TV Globo e Aracruz Celulose. Saldanha foi Vice-Presidente de Relações Institucionais da ABRH-Nacional, Palestrante da Câmera Espanhola de Comércio, Membro do Comitê Consultivo da Escola de Integração e Negócios e Membro do Comitê de Gestão de Pessoas da AMCHAM.